.mapa anual de contos infantis desde 10/10/2008

ip-location
Sábado, 25 de Setembro de 2010

Inês e a bicicleta

Há muito tempo que Inês queria uma bicicleta. Pedia-a frequentemente à mãe. Como não tivesse muito dinheiro, a mãe dizia-lhe que, quando tivesse  menos despesas,  lhe compraria a bicicleta. Ficou entusiasmada. Falava da bicicleta que iria ter a toda a gente: aos avós, aos irmãos, aos amigos, às visitas, aos colegas da escola…

Mas os dias foram passando e a tão ansiada bicicleta não chegava! Os amiguitos da casa ao lado passavam as tardes a andar de bicicleta e Inês não podia acompanhá-los porque não sabia andar de bicicleta e porque não tinha uma. O pai dos meninos, como andava a ensinar o filho mais novo, ensinou-a também. Como a vontade de aprender era tanta, a menina, em apenas dois ou três dias, já se equilibrava em cima do velocípede! A sua satisfação aumentava de dia para dia e também as suas habilidades! Só a tão desejada bicicleta não chegava. Perguntava vezes sem conta à mãe quando é que teria a bicicleta e como de morasse muito, resignou-se a uma ideia – partilharia a bicicleta dos vizinhos!

Um dia chegou a casa muito entusiasmada. Alguém lhe oferecera uma bicicleta!

A mãe que conseguira juntar um dinheiro para a comprar, parou, confusa. Viu entrar, pelo portão, uma bicicleta na qual se poderia montar! O entusiasmo da pequena por ter realizado finalmente o seu sonho juntava-se uma certa apreensão: era tão grande que tinha medo de se desequilibrar e cair! Surgiu a ideia de baixar o selim, para que pudesse, mais facilmente, chegar aos pedais. Grande decepção! A pequena já não sabia o que haveria de pensar! Ao ver a decepção da filha mais nova, a mãe decidiu que, custasse o que custasse, lhe iria comprar a bicicleta no mês seguinte.

Para evitar sofrer com a situação, esqueceu-se da sua e concentrou-se nas brincadeiras e nos passeios partilhados na bicicleta emprestada dos vizinhos. Como o pai dos vizinhos do lado tinha comprado uma nova para o filho mais novo – tinha feito o mesmo há uns meses atrás, à filha mais velha – sobrava uma que era emprestada à Inês.

A mãe não sabia! Tinha tomado a decisão de realizar a sua ideia depois de ter visto a bicicleta oferecida! Uma noite, disse subitamente À filha mais nova:

- Inês, amanhã, a mãe vai pedir à mana e ao Teo para te comprarem a bicicleta. E tu vais com eles para escolheres.

A pequena, desta vez mais cautelosa, não reagiu com o entusiasmo anterior. Tinha medo da desilusão. Ficou parada a olhar para a mãe na dúvida.

- Vais mesmo comprar-me a bicicleta? – perguntou como se não tivesse compreendido bem o que a mãe acabara de dizer.

- Sim, Inês, vou comprar-te a bicicleta! – sublinhou.

- Quando?

- Quando vieres da escola!

A pequena, embora entusiasmada, continuava a reagir com cautela. Finalmente, desprendeu a sua alegria que, até ali, tinha refreado a custo.

- Que bom! Vou ter, finalmente, a minha bicicleta! – gritou alegremente acrescentando depois – e aquela que está na garagem, mãe?

- Fica para mim – esclareceu a mãe – Quando já estiver boa, vamos andar as duas de bicicleta!

Inês abraçou a mãe.

- És a melhor mãe do mundo! – gritou carinhosamente.

No dia seguinte, assim que acordou, os seus pensamentos voaram para aquele que seria o ponto alto do dia – a compra da bicicleta.

- É hoje que vamos comprar a minha bicicleta! – exclamou

- Sim, é. – retorquiu a mãe – Mas só à tarde quando regressares da escola e depois do Teo sair do emprego.

Inês foi muito feliz para a escola. Esteve inusitadamente alegre e comunicou a todos o motivo da sua felicidade: ia ter uma bicicleta do seu tamanho!

Chegada a tarde, o entusiasmo de Inês ia aumentando. Terminou os trabalhos de casa e brincou até à chegada da irmã que só chegava às oito horas da noite. Como estudava num liceu noutra cidade, e ia e voltava de comboio, partia sempre muito cedo e chegava tarde. Era a última a chegar a casa!

À medida que se aproximavam as oito horas, a impaciência aumentava assim a expectativa. Mas não dizia nada. Limitava-se a olhar para os desenhos-animados da televisão e a esperar. Quando a porta de entrada se abriu e uma voz alegre e já prevenida gritou “Cheguei!”, o entusiasmo foi enorme. Como Teo já tivesse chegado, rumaram os três para a grande superfície mais próxima no sentido de comprar a tão ambicionada bicicleta!

Chegaram uma hora depois com a pequena aos gritos lançando à brisa fria da noite que já comprara a sua bicicleta! E chegava aos pedais!

- Oh, mãe, assim que encarei com a bicicleta, percebi que era esta a ideal para ela! – comentava satisfeita a irmã mais velha de Inês.

A mãe agradeceu ao Téo que tinha de se despachar, pois a mãe estava à sua espera para jantar!

E, agora, a menina percorre o bairro todo encavalitada na sua pequena bicicleta, vivendo aventuras nos ares rasgados da sua velocidade. Na cabeça, o capacete próprio que pertenceu ao irmão mais velho!

publicado por fatimanascimento às 16:59
link do post | comentar | favorito
|

.mapa mensal de contos infantis, desde 10/10/2008

ip-location

.mapa diário de contos infantis

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Dezembro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
31

.posts recentes

. A dança da vida

. Inês e a bicicleta

. Inês e o banho

. Uma história de vida

. Inês e o Pequeno-almoço

. Mãe, gostas de mim?

. Inês e a tabuada

. O estigma da beleza

. Inês e a brincadeira

. A Nova Ordem

.arquivos

. Dezembro 2010

. Setembro 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Agosto 2008

.tags

. todas as tags

.favoritos

. A manifestação de Braga

.links

.contador

Web Counters
stats counter

.URGENTE!

www.greenpeace.pt

.Greenpeace

.leitores on line

online
blogs SAPO

.subscrever feeds